Arquivo da categoria ‘Fé’

Equilíbrio Entre Fé e Obras

Publicado: novembro 19, 2011 em ELLEN G. WHITE,
Tags:,

Testemunho Vivo
“Sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe e que Se torna galardoador dos que O buscam.” Heb. 11:6. Há no mundo cristão muitos que declaram que tudo que é necessário para a salvação é ter fé; as obras nada são , só a fé é necessária. A Palavra de Deus, porém, nos diz que a fé, se não tiver obras, por si só está morta.
Muitos se recusam a obedecer aos mandamentos de Deus, mas dão grande importância à fé. Mas a fé tem de ter alicerce. As promessas de Deus são todas feitas sob condições. Se cumprirmos a Sua vontade, se andarmos na verdade, poderemos então pedir o que quisermos, e ser-nos-á feito. Enquanto nos empenharmos fervorosamente em ser obedientes, Deus ouvirá nossas petições; mas Ele não nos abençoará na desobediência. Se preferirmos desobedecer aos Seus mandamentos, poderemos clamar: “Fé, fé, apenas ter fé!” e da segura Palavra de Deus virá a resposta: “A fé sem obras é morta.” Tia. 2:26. Semelhante fé será como o metal que soa ou o sino que tine.
Para termos os benefícios da graça de Deus, temos de fazer a nossa parte; temos de trabalhar fielmente, e produzir frutos dignos de arrependimento. Somos coobreiros de Deus. Não deveis assentar-vos indolentemente a espera de uma grande ocasião a fim de fazerdes uma grande obra pelo Senhor. Não deveis negligenciar o dever que está justamente no vosso caminho; deveis, sim, aproveitar
Pág. 35
as pequenas oportunidades que se apresentam em torno de vós. Deveis prosseguir fazendo o melhor que vos seja possível nas pequenas obras da vida, assumindo de coração e com fidelidade a obra que a providência de Deus vos designou. Por pequena que seja, deveis fazê-la com toda a perfeição com a qual faríeis uma obra maior. Vossa fidelidade será aprovada nos registros do Céu.
Não precisais esperar até que vosso caminho seja aplainado a vossa frente; ponde-vos ao trabalho, para aperfeiçoardes os talentos que vos foram confiados. Nada tendes que ver com o que o mundo pense de vós. Sejam vossas palavras, vosso espírito, vossos atos, um vivo testemunho em prol de Jesus, e o Senhor cuidará de que o testemunho para Sua glória, dado por uma vida bem-ordenada e santo trato, se aprofunde e intensifique em poder. Seus resultados podem jamais ser vistos na Terra, mas se tornarão manifestos diante de Deus e dos anjos.
Qual é Minha Parte?
Temos de fazer, de nossa parte, tudo que pudermos para combater o bom combate da fé. Devemos lutar, labutar, empenhar-nos, esforçar-nos desesperadamente por entrar pela porta estreita. Temos de ter sempre o Senhor perante nós. De mãos limpas, coração puro, devemos procurar honrar a Deus em todos os nossos caminhos. Foi-nos provido auxílio nAquele que é poderoso para salvar. O espírito da verdade e da luz nos avivará e renovará por suas misteriosas operações, pois todo o nosso proveito espiritual vem de Deus, não de nós mesmos. O obreiro fiel terá o auxílio do poder divino, mas o ocioso não será sustentado pelo Espírito de Deus.
Em certo sentido somos lançados sobre nossas próprias energias; devemos lutar fervorosamente por ser zelosos e arrepender-nos, limpar as mãos e purificar o coração de toda mancha; devemos alcançar a mais alta norma, crendo que Deus nos ajudará em nossos esforços. Devemos
Pág. 36
buscar, se quisermos achar, e buscar com fé; temos de bater, para que a porta se abra. A Bíblia nos ensina que tudo que se relaciona com a nossa salvação depende de nosso próprio procedimento. Se perecermos, a responsabilidade repousará inteiramente sobre nós mesmos. Se foi tomada providência, e se aceitamos as condições apresentadas por Deus, podemos apropriar-nos da vida eterna. Temos de ir a Cristo com fé, temos de procurar com diligência confirmar nossa vocação e eleição.
Uma Fé que Nada Faz?
O perdão dos pecados é prometido àquele que se arrepende e crê; a coroa da vida será a recompensa daquele que é fiel até o fim. Podemos crescer na graça aperfeiçoando-nos pela graça que já possuímos. Devemos conservar-nos imaculados do mundo, se é que queremos ser achados irrepreensíveis no dia de Deus. Fé e obras vão de mãos dadas, agem harmoniosamente na obra de alcançarmos a vitória. Obras sem fé são mortas, e morta é a fé sem as obras. Obras jamais nos salvarão; são os méritos de Cristo que têm valor. Pela fé nEle, Cristo tornará todos os nossos imperfeitos esforços aceitáveis a Deus. A fé que de nós é requerido possuir não é uma fé de nada fazer; fé salvadora é a que opera por amor, e purifica a alma. Aquele que levantar a Deus mãos santas, sem ira nem contenda, andará inteligentemente no caminho dos mandamentos de Deus.
Se é que queremos ter o perdão de nossos pecados, temos de primeiro entender o que é o pecado, a fim de podermos nos arrepender, e produzir frutos dignos de arrependimento. Temos de ter um sólido alicerce para nossa fé; ela tem de alicerçar-se na Palavra de Deus, e seus resultados se verão na obediência à Sua expressa vontade. Diz o apóstolo que sem santificação “ninguém verá o Senhor”. Heb. 12:14.
Pág. 37
Bem-Equilibrados
A fé e as obras nos conservarão bem-equilibrados, e nos trarão êxito na obra de aperfeiçoar um caráter cristão. Diz Jesus: “Nem todo o que Me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos Céus, mas aquele que faz a vontade de Meu Pai, que está nos Céus.” Mat. 7:21. Falando do alimento temporal, disse o apóstolo: “Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto: que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também.” II Tess. 3:10. A mesma regra aplica-se ao nosso alimento espiritual; se alguém quiser o pão da vida eterna, esforce-se por obtê-lo.
Vivemos num importante e interessante período da história terrestre. Necessitamos de mais fé do que jamais tivemos; precisamos maior firmeza, vinda do alto. Satanás está operando com todo o poder para alcançar vitória sobre nós, pois sabe que lhe resta bem pouco tempo para trabalhar. Paulo operava sua salvação com temor e tremor; e não deveríamos nós temer que, tendo-nos sido deixada uma promessa, qualquer de nós deixe de alcançá-la, demonstrando-se indigno da vida eterna? Devemos vigiar e orar, lutar com desesperado esforço para entrar pela porta estreita.
Não existe desculpa para o pecado, ou para a indolência. Jesus abriu o caminho, e deseja que Lhe sigamos as pegadas. Ele sofreu, Ele sacrificou-Se como nenhum de nós o pode fazer, a fim de pôr ao nosso alcance a salvação. Não precisamos desanimar-nos. Jesus veio ao nosso mundo para trazer ao homem poder divino, a fim de que, por Sua graça, fôssemos transformados em Sua semelhança.
O Melhor Possível e… que Mais?
Se está em nosso coração obedecer a Deus, se fazemos esforços nesse sentido, Jesus aceita essa disposição e esforço como o melhor serviço do homem, e supre a deficiência com Seu mérito divino. Ele não aceitará, porém,
Pág. 38
os que, alegando ter fé nEle, são desleais ao mandamento de Seu Pai.
Ouvimos muito acerca de fé, mas precisamos ouvir muito mais acerca de obras. Muitos se iludem, vivendo uma religião fácil, acomodatícia, sem cruz. Jesus, porém, diz: “Se alguém quiser vir após Mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz e siga-Me.” Mat. 16:24. The Signs of the Times, 16 de junho de 1890.
Como Dois Remos
Se formos fiéis em fazer a nossa parte, cooperando com Ele, Deus operará por nós [para cumprirmos] Sua vontade. Deus não pode, porém, operar por nós se não fizermos esforço algum. Se quisermos alcançar a vida eterna temos de trabalhar, e trabalhar fervorosamente. … Não nos iludamos com a afirmação, muito repetida: “Tudo que se tem que fazer é crer.” Fé e obras são dois remos que temos que usar igualmente se [quisermos] romper rio acima, contra a corrente da incredulidade. “A fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma.” Tia. 2:17. O cristão é homem de pensamento e prática. Sua fé fixa firmemente em Cristo as suas raízes. Pela fé e pelas boas obras conserva ele sua espiritualidade robusta e sadia, e sua força espiritual aumenta à medida que se empenha em fazer as obras de Deus. Review and Herald, 11 de junho de 1901.
Uma Mensagem Equilibrada
Sejam meus irmãos muito cuidadosos em como apresentam ao povo o assunto da fé e das obras, para que não fiquem confundidos. …
Que homem algum apresente a idéia de que o homem pouco ou nada tem que fazer na grande obra de vencer; pois Deus nada faz para o homem sem a sua cooperação. Nem digais que, depois de haverdes feito tudo que de vossa parte seja possível, Jesus vos ajudará. Disse Cristo: “Sem Mim nada podereis fazer.” João 15:5.
Pág. 39
De princípio a fim deve o homem ser coobreiro de Deus. A menos que o Espírito Santo opere no coração humano, a cada passo tropeçaremos e cairemos. Os esforços do homem, somente, são nada mais que nulidade; mas a cooperação com Cristo significa vitória. …
Não deixeis nunca em vossa mente a impressão de que pouco ou nada haja que fazer da parte do homem; ensinai-o a cooperar com Deus, que assim poderá vencer.
Que ninguém diga que vossas obras nada têm a ver com vossa categoria e posição diante de Deus. No juízo, a sentença pronunciada será de acordo com o que tenha sido feito ou deixado de fazer. (Mat. 25:34-40.)
Esforço e trabalho são necessários da parte do recebedor da graça de Deus; pois é o fruto o que torna manifesto qual a espécie de árvore. Embora as boas obras, sem a fé em Jesus, não sejam de mais valor do que foi a oferta de Caim, contudo, cobertas com os méritos de Cristo, testificam da dignidade do que as pratica, de herdar a vida eterna. Aquilo que no mundo é considerado moralidade, não alcança a norma divina e não tem mais mérito diante do Céu do que teve a oferta de Caim. Mensagens Escolhidas, vol. 1, págs. 379-382.

Anúncios